segunda-feira, 10 de junho de 2013

Never Give Up

3º Temporada - 30º Capítulo


  

[O Ryan fala as vezes que a Seu nome é linda, que ela tem um corpo único, como se ele já tivesse visto muita coisa, mas eu não ligo muito, já que ele sempre anda com as garotas dele. Apesar disso, ele é o único que fala e eu não fico enciumado, eu acho. Ela é minha mesmo.]
            
O que me deixa tranquila, é que ela está na casa dos pais, então eles ficam de olho nela já que eu não estou lá para fazer isso. Ela tem que se cuidar muito mais do que antes, porque não é a primeira vez que passa por isso e nós dois sabemos que ela tem que fazer tudo certinho. Não iria me perdoar se algo desse errado de novo, por minha culpa ou por um desleixo. A sorte, é que ela está bem e quase não se sente mal. Apesar disso, eu sinto que devo tentar monitorá-la, mesmo que eu esteja um pouco distante. Eu sempre falo com a mãe dela por mensagens, para saber como ela está, se foi ao médico, e essas coisas. Ela é  como uma amiga, e isso é engraçado.                                     
Ryan levou os pratos à pia e disse: Hoje é o seu dia.
Falei: Vamos a algum lugar hoje? 
Ele deu os ombros e disse: Tem uns clubes bem legais por aqui, mas são do outro lado e provavelmente você será visto por muitas pessoas.
Neguei com a cabeça e falei: Então não. O que tem para fazer aqui tanto?
Ele deu os ombros e disse: Sei lá cara, você está aqui faz tempo. Não saiu nenhum dia?
 Falei: Claro que sai, mas eu não conheço muita coisa aqui. O Dustin me acompanhou nos clubes mais próximos, já que é meio arriscado ficar saindo assim. Tem a praia, que de noite fica iluminada e podemos beber um pouco, para nos divertir lá fora.
Ele concordou e disse: Vamos à praia de noite então. Não temos outros planos mesmo.
Falei enquanto secava as mãos: Eu vou para a Califórnia daqui 3 semanas, tenho a premiação e resolver umas coisas. Se quiser pode ir também.
Ryan balançou a cabeça e disse: Vou ver. Estou gostando daqui.
Falei: É um ótimo lugar para morar. Apenas não conhecemos muita coisa, ainda. 
Ele disse: Eu andei pesquisando uns lugares por aqui, e tem bastante opção para a noite. 
Ri e falei: Veja lá onde nós vamos. Eu sou comprometido.
Ele riu e disse: Mas eu não sou. Relaxa, é apenas uma boa diversão. A Seu nome confia em você.
Falei: Eu sei, mas mesmo assim cara.
Ele sentou-se no sofá e ligou a tv.
Falei: Topa terminar nossa disputa no NBA?
Ryan assentiu e disse: Claro. Depois eu vou lá.
Fui para o meu quarto e fechei a porta. Liguei a tv e abri as cortinas, deixando apenas a claridade iluminar o quarto. Tirei os tênis e a camisa. Acho desnecessário ficar com camisa dentro de casa, ainda mais em um apartamento em que os paparazzi me desconhecem. Estou gostando de ficar aqui, mas preciso sair com os meus amigos. Talvez o Za e o Twist possam vir passar uns dias aqui, o Ryan é amigo deles mesmo, então seria divertido. Até porque estamos no Brasil, é tudo diferente. 
Sorte que aqui tem netflix, coloquei um seriado que eu gosto de assistir e fiquei deitado descansando. Mesmo que eu quisesse, não conseguia passar de pensar na Seu nome. Não que eu não deva pensar nela enquanto deveria relaxar nesse lugar, longe de tudo. Eu penso e até demais. É meio que involuntário. As pessoas pensam que só porque eu fico quieto e não falo sobre ela, eu não sinto saudades e não penso sobre. Muito pelo contrario, enquanto as pessoas começam a me falar coisas chatas sobre assuntos que me desenterraram, eu começo e pensar no que ela diria se estivesse aqui. As vezes eu olho para uma garota bonita e imagino o rosto dela na garota, e começo a sorrir. Isso é muito estranho. Mas talvez seja um bom sinal, não? Que pergunta idiota, minha consciência não me responderia sobre uma coisa que eu já sei. 
Peguei meu celular e entrei no perfil do twitter dela. Ela estava tão linda naquela foto, afinal ela já é linda e tem uma facilidade para sair maravilhosa em todas as fotos. Sua capa era uma foto comigo abraçado. Lembro quando ela me pediu permissão para colocar, por conta das minhas fãs. Olhei os últimos tweets dela, e eram sobre a faculdade, conversando com os amigos. Como eu sou um namorado curioso, stalkeei o perfil de todos os amigos da faculdade que ela conversou para saber se algum cara poderia interessá-la. É claro que tinham vários caras bem formados, digamos assim e ela não me disse nada sobre isso. Bom, ela sabe o que faz.
Eu não sei, mas eu estava morrendo de vontade de ligar pra ela, só para ouvir sua voz e ouví-lá falar sobre como foi o seu dia.
Confesso que se dependesse de mim, passaria horas ouvindo aquela voz suave sem problemas, mas como estou longe eu tenho minha táticas. Coloquei no aparelho de dvd, o CD que ela fez para mim cantado várias músicas. Eu amo ouví-lo. Abaixei o volume da tevê e aumentei o som. Fechei os olhos e fiquei ouvindo sua voz ecoar todo o quarto, como se ela estivesse aqui. É uma sensação tão boa. Me sinto estranho quando começo a pensar sobre isso, porque eu sou um cara e tinha que estar pensando mais além, mas como estamos em uma situação estável não tenho do que reclamar. O único problema é que ela divide o quarto com a Megan, e nos sentimos um pouco, não sei, vigiados talvez. Isso não é bom. 
Passou tão rápido que as músicas já estavam acabando.
Tirei uma foto minha deitado na cama e mandei para a Seu nome pelo snapchat. Um aplicativo em que você nada uma foto ou um vídeo e a pessoa só tem alguns segundos para ver. Nós sempre conversamos por fotos, e é engraçado porque ela me manda umas divertidas. 
Assim que o CD acabou, guardei-o novamente no meu closet e voltei a ouvir tv. 
Ryan abriu a porta do quarto e disse: Pronto para perder?
Ri e falei: Está falando de você?
Ele deu uma risada forçada e disse: Isso é o que vamos ver. 
Sai do quarto e fui até o quarto de jogos.  Nos sentamos nos pufs que rodeavam todo o quarto e Ryan ligou o video game.  Ele sempre sabe que vai perder, mas insiste em competir e pagar de vencedor. Por isso eu gosto de competir com ele.
Começamos a jogar e meus olhos se fixaram na telona.
Ele disse: Tudo certo para a praia mais tarde?
Assenti e falei: Claro Ryan. 

1 mês [...]

Agora que já estou voltando para o Brasil, provavelmente irei direto para a casa da Seu nome. Nós brigamos porque eu comentei com ela que fui à praia pada beber com o Ryan e voltei para o apartamento um pouco alterado, mas eu fui sincero. Ela ficou muito irritada e brigamos por telefone. Não nos vemos há uma semana, mas parece um mês devido a minha rápida viagem para a Califórnia. Por sorte a premiação ocorreu tudo bem e eu venci 3 prêmios. O Za está para vir e passar uns dias comigo e com o Ryan, para que ele não fique sozinho quando eu for visitar a minha Seu nome. Apesar que, ele fez algumas amizades por ai. Ainda não fomos descobertos pelos paparazzi, por muita sorte. Já quando eu cheguei na Califórnia, parecia que as pessoas estavam me esperando, porque eu meio que sumi da mídia e essas coisas. Eu fui ao estúdio um dia para gravar algumas músicas que ainda não foram lançadas e estou para gravar as outras aqui no Brasil mesmo. O Scoot conversou com um cara que é amigo dele, e por sorte é em Fernando de Noronha mesmo. A melhor parte de estar morando lá, é a privacidade. O Dustin é um ótimo segurança e sempre está de olho cada vez que deixamos o condomínio, ou quando aprontamos com os vizinhos. 
Entrei nesse avião há quase uma hora, e terei uma longa viagem até o Brasil. Estou sozinho de novo nesse jato e como não tenho nada para fazer, o que me resta é dormir até chegar no Rio de Janeiro quando amanhecer.

Seu nome pov

O Justin me ligou de madrugada, só para dizer que sente minha falta e logo estaria de volta. Ele me acordou no meio da noite, devido o fuso horário. As vezes ele não pensa no que faz. Acordei no horário de sempre e me arrumei para a faculdade. Eu e a Megan fizemos nosso café e tomamos juntas sentadas na mesa. Sempre saímos no mesmo horário e de preferência com um só carro para dar menos trabalho. Hoje vamos embora no mesmo horário, porque ela tem uma aula a menos então sairá um pouco antes de mim, mas ela me espera porque vamos almoçar fora. 
Fiquei nas primeiras aulas, e no primeiro intervalo estava morrendo de fome. Comi duas barras de cereais e assim que terminei a última, meu estômago revirou e minha cabeça começou a doer. Como ainda faltavam 15 minutos para voltar a aula, falei para o pessoal que não estava me sentindo muito bem, mas que logo passaria. Até então eu não tinha me sentindo assim disse que descobri a gravidez. Minha barriga já está começando a aparecer, mas ainda ninguém sabe de nada. Principalmente a mídia. 
O Gustavo e a Lavínia insistiram para que eu tomasse algum remédio ou fosse ai médico. 
Falei: Não precisa Gu, eu já estou melhor. 
Lavínia encarou-me e disse: Está falando sério? Olha o seu estado Seu nome, você está pálida. Se quiser eu te levo ao médico agora, a próxima aula não é tão importante.
Neguei com a cabeça e falei com a voz leve: Não precisa Lá, eu já vou melhorar. É só um mau-estar, que logo passa.
Os outros já não estavam mais na mesa, só os dois insistindo para que eu fizesse algo. Por mais que eu estivesse negando, eles estavam certos. Eu precisava ir ao médico de algum jeito. Mas como? Não quero que eles saibam agora que eu estou grávida, porque se eles me levarem eu irei ao consultório de sempre. Só se eu pedir para a Megan me levar. Ela não iria negar de maneira alguma.
Eu estava com tontura, e se levantasse desse banco agora cairia dura no chão. Peguei meu celular que estava no bolso e mandei um sms para a Megan:

“Venha aqui urgente. Preciso que me leve ao médico. Estou logo na entrada do pátio”.

“O que você tem mana??? Estou indo”.

Escondi o rosto com as mãos e fiquei respirando fundo. Eu estava atordoada e não iria conseguir respondê-lá agora. Lavínia colocou a mão no meu ombro e disse: Eu estou preocupada, vamos ao médico Seu nome.
Falei: Minha irmã já sabe onde é p consultório e acho que ela pode me levar. Fique tranquila.
Bateu o sinal e Gustavo disse: Eu não vou voltar para a aula. Vou ficar aqui com você, até que melhore.
Sorri e falei: Podem ficar tranquilos, eu vou ficar bem. 
Logo ouvi a voz da Megan aflita aproximando-se: O que aconteceu Seu apelido? Vamos agora ao consultório.
Olhei pra ela e falei: Estou com muita tontura e um pouco enjoada. Minha cabeça vai explodir.
Ela veio até mim e colocou o braço em volta da minha cintura para me levantar. Olhou para os dois e disse: Vocês podem pegar a bolsa dela no armário e levar até o carro? Por favor?
Lavínia disse: Eu pego e já vou levar.
Gustavo ajudou-a a me levantar e disse: Eu vou com vocês até o carro.
Falei: Você está perdendo aula Gustavo.
Ele deu os ombros e disse: Depois eu explico. O que importa é saber o que você tem.
Megan como sempre louca para contar as coisas aos outros, falou: Eu posso contar?
Falei: Conte.
Ela disse: A minha irmã está gravida, por isso ela está passando mal, mas ela não quer que ninguém saiba por enquanto. 
Ele olhou-me mais do que surpreso e disse: Grávida? Como assim Seu nome? Do Justin?
Ri e falei: É claro que é do Justin. 
Chegamos até o carro e Megan disse: Ajude -a a sentar ali porque eu vou dirigindo.
Soltei-me dele e falei: Eu não estou tão ruim assim Megan. 
Ela riu e disse: Sabemos que você está a ponto de desmaiar, e cair no chão não seria uma boa ideia.
Ele riu e disse: Nossa, que sincera.
Sentei-me no banco e fechei os olhos, abri-os em seguida e minha vista estava embaçada como se eu tentasse enxergar tudo mas algo estivesse me impedindo. 
Lavínia colocou a bolsa no meu colo e disse: Está aqui Seu nome. Nos dê notícias.
Assenti e fiz sinal para que o Gustavo ficasse quieto sobre o que falamos para ele. Ele assentiu e falei: Obrigada Lavi.
Fechei novamente os olhos e a Megan ligou o carro. Falei: Vamos ao mesmo consultório de sempre?
Ela falou: Sim, e agora. O que você está sentindo?
Falei: Eu estava com muita ânsia, mas agora só estou um pouco enjoada e com muita tontura. Eu já senti isso antes e não é legal.
Ela disse: Antes, recentemente ou antes...antes?
Concordei e falei: Na outra gravidez. Enfim, não deve ser nada demais. Mas eu fiquei preocupada.
Ela disse: Sua barriga já está começando a aparecer, por isso os sintomas estão vindo á tona. 
Falei: Eu sei disso, mas quem não me conhece não percebe que eu estou grávida.
Ela disse: Você diz isso porque os seus amigos da faculdade ainda não sabem. 
Falei: Eu só ficarei aqui por mais um mês, eu acho. Então não estou com problemas nisso.
Ela disse: Você tem certeza de que quer morar com o seu filho em outro país? Na casa do Justin?
Assenti e falei: Eu morei lá durante quase dois anos, e eu sei que é isso que eu quero. Viremos sempre para cá visitar vocês. 
Ela disse: Não precisa vir. Eu prefiro ir para lá, porque é bem melhor.
Ri e falei: Você sabe que sempre pode ir lá.
Ela deu os ombros e disse: Eu sei. 
Falei: Já estamos chegando?
Ela disse rápido: Claro que não. Falta uns 20 minutos ainda.
Falei: Mas a minha tontura esta aumentando. 
Ela disse: Então para de ficar abrindo os olhos. Já avisou o Justin ou a mamãe que estamos indo lá?
Neguei com a cabeça e disse: Não há necessidade. O Justin chega hoje para me visitar e em poucas horas estaremos em casa.
Ela disse: Mesmo assim, você sabe que o seu namorado é cheirosa frescura com relação a você. Ele vai ficar bravo. 
Falei: Não fala assim dele. O Justin só é exagerado, mas ele vai entender.
Liguei o rádio e minoria depois ela disse: Chegamos. Coloca seus óculos porque você está com cara de doente, e com certeza terão paparazzi por aqui. 
Olhei para ela e falei: Poxa, obrigada.
Coloquei meus óculos de sol e arrumei o cabelo. Sentei-me direto no banco e ela desceu do carro. Desci e fiquei parada de pé, esperando a tontura melhorar.
Ela disse: Precisa de ajuda?
Neguei com a cabeça e falei: Eu consigo andar sozinha. 
Fui caminhado devagar e entrei no consultório. Por um milagre estava completamente vazio. Olhei para ela, que gesticulou para que eu fosse até o sofá. Peguei um copo d'água e sentei-me no sofá de três ligares sozinha. Olhei no visor do celular e já era meio dia. O Justin deve chegar umas 15h, já que hoje é o dia dele dormir em casa. Ainda bem, preciso da companhia dele. Não gosto de ficar sozinha todas as noites, e não tê-lo comigo para conversar. Isso é meio solitário as vezes.
“Seu nome!”
Olhei rápido ao redor e Megan disse: Vem logo.
Fiz careta pra ela e levantei-me devagar para não piorar a tontura e segui-a até o consultório de sempre.
Falei: Vamos ser atendidas agora?
Ela assentiu e disse: Sim. Demos sorte que está tudo vazio nesse horário.
Entramos no consultório da médica e ela sorriu ao me ver. Até parece que já não enjoou de me ouvir falar as mesmas coisas de sempre.
Sorri de volta e nos sentamos nas cadeiras de frente para ela. A médica disse: O que aconteceu com você Seu nome?
Cutuquei a Megan para que ela falasse, e ela começou dizendo que eu não estava me sentindo bem e essas coisas. 
Eu sei que já sou maior de idade, mas mesmo assim não gosto de falar para a doutora o que eu estou sentindo, eu não sei explicar. Eu só sinto. Ainda bem que por um milagre a Megan explicou tudo certinho, sem muito exagero e também disse que estava curiosa para saber o sexo do meu bebê. 
A doutora disse: Bem, são sintomas normais da gravidez Seu nome, e pode ser que aconteça a mesma coisa novamente, então eu te aconselho a ter sempre um remédio na bolsa, mas não é nada forte. É apenas para passar a sua tontura e o enjôo. 
Assenti e falei: Ah sim, então esse remédio eu posso tomar?
Ela afirmou com a cabeça e disse: Pode, mas tome muito cuidado quando você for tomar algum comprimido, porque as vezes ele não é adequado para você. 
Falei: Entendi. E quando faremos o próximo ultrassom?
Ela disse enquanto anotava o nome do remédio no papel: Podemos fazer um semana que vem, porque hoje você não está muito boa. E creio que dê para definir o sexo daqui um mês.
Megan interferiu: Tudo isso ainda?
Ri e falei: Fica quieta. Eu já imaginava... Tudo bem então. Obrigada.
Nos levantamos e a Megan pegou o papel com o nome do remédio e as informações.
Ela sorriu e disse: Mesmo que não seja nada grave, é sempre bom que você venha aqui quando sentir essas dores e muita tontura.
Concordei e falei: Eu virei se isso acontecer de novo.
Ela disse: Te espero na semana que vem para o ultrassom.
Megan disse: Eu já vou deixar marcada a consulta dela para terça.
 Saímos da sala dela e falei: Você vai passar comprar o remédio agora?
Ela assentiu e disse: Claro, você está toda atordoada ai.
Dei um sorriso falso e falei: Como você é sem graça. Então eu já vou para o carro.
Ela disse: Tudo bem, eu só vou acertar sua próxima consulta.
Megan entregou as chaves na minha mão e guardei o celular no bolso. Coloquei novamente meus óculos de sol e sai ás pressas. Haviam cerca de três paparazzi me cercando e começaram a me fotografar na cara dura, como se eu não me importasse. 
Eu não gosto, ainda mais quando não estou nos meus melhores dias. Tapei o rosto com uma das mãos e falei: Saiam, por favor.
Eles ignoraram o que eu disse e entrei no carro. Continuaram fotografando e por sorte o sufilme os impedia de ver qualquer coisa.
Suspirei aliviada e liguei o rádio baixo, estava tocando Selena Gomez, nada melhor para animar um pouco. Talvez isso tenha soado irônico, mas não foi. Há um bom tempo não falo com a Selena, e isso talvez seja bom. 
A música já estava no fim quando a Megan finalmente entrou no carro. Ela disse: Esses fotógrafos são um pé no saco, não?
Assenti e falei: Eles quase enfiaram essas câmeras na minha cara. 
Ela riu e disse: Eles vão ver onde eu vou enfiar isso se continuarem grudando desse jeito.
Ri e falei: Sua tonta. Onde nós vamos?
Ela disse como se fosse óbvio: Na farmácia. Eu vou comprar o seu remédio e logo iremos almoçar.
Falei: E a faculdade?
Ela deu os ombros e disse: Que faculdade Seu nome? Acha mesmo que dá tempo de voltar? E outra, não podemos entrar assim do nada e avisar que você foi ao médico.
Falei: É claro que pode. Leva esse papel aí que ela deu.
Ela disse: Papel aí. Eu quero ver como você vai se virar daqui 6 meses.
Falei: Para com isso, eu irei me virar muito bem.
 Ela concordou em tom de ironia e disse: Se você diz.
Dei um tapa no braço dela, que revirou e disse: Para, eu estou dirigindo.
Falei: E eu estou mal, você não pode me bater.
Ela disse: Mas você me deu um tapa. E eu sou mais velha.
Falei: E dai que você é mais velha?
Ela disse: Você tem que me respeitar. 
Falei: Quem nos vê diz que temos a mesma idade, então não vem com essa de mais velha.
Ela disse: Você gosta de ser vista como uma mulher de 20 anos?
Neguei com a cabeça e falei: Claro que não. As pessoas que te veem como se tivesse 18.
Ela ajeitou o cabelo e disse: Melhor assim.
Virei a cabeça para o lado da janela e fiquei olhando a vista.
Chegamos na farmácia e ela disse: Você fica aqui no carro, quietinha.
Assenti e falei: Você não manda em mim.
Ela ignorou o que eu disse e saiu do carro ás pressas. Olhei no visor do celular e já era quase 13h. O horário normal de chegar em casa seria daqui uma hora e pouco, então iremos praticamente voltar no mesmo horário de sempre. Só espero que ela não se esqueça que temos que almoçar fora.
Entrei no twitter do Justin e o último tweet era de quase um dia atrás. Ele ainda deve estar no avião. Só espero que chegue logo para me fazer companhia, e não se esqueça que hoje é o dia dele dormir em casa. Não nos vemos há uma semana, mas parece um mês. E graças ao bom Deus ele não sumiu de novo, como ele já havia dito. Me liga todos os dias e manda mensagens querendo saber como eu estou, como foi o meu dia e fala sobre o dele. Nós brigamos há um tempo porque ele voltou para Fernando de Noronha e se embebedou todo com o Ryan na praia. Se eu fiquei brava? É claro que sim. Tudo bem que ele está se divertindo com um dos melhores amigos e gosta de sair para beber, mas tudo tem limite. Ele me ligou quase de madrugada e a voz dele estava péssima, como se ele não soubesse o que estava dizendo. Sim, nós brigamos durante alguns dias, mas na semana seguinte ele voltou aqui e como sempre, nos acertamos. 
A Megan voltou para o carro com uma pequena sacola e disse: Se prepara porque os paparazzis já devem saber que você está grávida,  ou irão começar a perguntar.
Falei: Te viram aqui?
Ela assentiu e disse: Eu acho que um deles nos seguiu, porque era o mesmo fotógrafo e não tinha como ele saber que viríamos para cá agora.
 Revirei os olhos e falei: Que merda. Cadê o remédio?
Ela entregou o pacote e disse: Tome um comprimido desse, vai passar sua tontura.
Falei: E cadê a água?
Ela me entregou um copo e disse: Sabia que você iria pedir.
Tomei o comprimido e ela disse: Agora você só vai tomar isso de novo quando estiver com muita tontura e enjôo. Tá?
Assenti e falei: Eu ouvi o que a Doutora disse.
Ela falou: Mas mesmo assim, você sempre esquece.
Falei: Eu sou responsável, não iria esquecer. 
Ela disse: Você diz isso agora.
Falei olhando pra ela: Por que você está implicando comigo? Para.
Ela disse: Eu não estou implicando não mana, só que você é muito reclamona.
Falei: Eu? Mas eu não reclamei de nada até agora, você que implica comigo.
Ela bufou impaciente e disse: Vai querer almoçar no restaurante ou em casa?
Falei rápido: No restaurante. Até chegar em casa eu já estarei melhor e a mãe não precisará se preocupar.
Ela disse surpresa: Você não a avisou que fomos ao médico?
Neguei com a cabeça e falei: Claro que não. Ela sempre está cheia de coisas para fazer de manhã e ficaria preocupada demais.
Ela disse: É óbvio que ela ficaria preocupada. Liga pra ela e diz que estamos indo para o restaurante mais cedo.
Falei: Pra quê? Logo estaremos em casa e ela já vai saber. 
Megan estacionou em frente ao restaurante e disse: Lembrando que, hoje os fotógrafos não vão dar mole.
Assenti e falei: Megan, eu sei.
Ela entrou na frente e eu fui caminhando atrás. Felizmente essa tontura estava melhorando, mas eu continuava com a cabeça doendo. Deve ser por conta do remédio. Nos sentamos logo no começo, e ela ficou de costas para a entrada. Falei: Você não avisou a mãe, nem o pai, não é?
Ela revirou os olhos e disse: E eu lá tive tempo? Você que deveria ter avisado. 
Falei enquanto olhava o cardápio: Logo estaremos em casa Megan, relaxa. 
Fizemos os pedidos e tirei o celular do bolso assim que ele vibrou. Era a Jasmine, querendo conversar. Ficamos conversando sobre coisas do dia a dia até nossas refeições chegarem. Almoçamos em silêncio, para evitar que eu me irritasse ainda mais com ela e vice versa.
Assim que terminamos o almoço, fui pagar a conta e ela disse: Eu já vou ficar lá fora, dando uma olhada. 
Assenti e logo ela saiu. O garçom se aproximou de mim e disse: Desculpe mas, você é a Seu nome? Namorada do Bieber?
Sorri e falei simpática: Sou sim, por que?
Ele era jovem, deve ter a minha idade. Sorriu de volta e disse: Ele é muito sortudo. Você é muito bonita.
Fiquei sem graça e sorri de novo, olhando para ele e coloquei os óculos de sol: É... Obrigada.
Saí de lá e a Megan estava parada em frente ao carro com um ar de impaciência. 
Fui até ela e falei com a voz baixa: Por que ainda não entrou no carro?
Ela disse: A chave está com você.
Ri e falei: Opa. Agora eu vou dirigindo, já estou melhor mesmo.
Ela disse: Tem certeza? Se você desmaiar no meio do trânsito eu não vou saber o que fazer. 
Ri e falei: Por favor, você acha que eu iria dirigir se estivesse mal?-entrei no carro-Não responda.
Ela riu e colocou o cinto. Liguei o carro e falei: Já passou das 14h? 
Ela negou com a cabeça e disse: São quase 14h. O Justin chega hoje?
Assenti e falei: Que eu saiba som. Ele está voltando da Califórnia e irá direto para casa. 
Ela disse: Para casa, nossa casa?
Falei: Sim-ri-. Ele deve chegar umas 15h. Pelo menos é o que eu acho.
Ela disse: E ele vai dormir lá?
Falei: Sim, porque semana passada ele foi embora de noite.
Ela disse risonha: Então vocês estavam sorte. 
Falei olhando pra ela: Por que?
Ela disse: Porque eu vou dormir na casa a Dani hoje. Estamos cheias de trabalhos e temos que estudar para as provas.
Falei animada: Isso é sério? 
Ela afirmou com a cabeça e disse: Claro. E olha que foi pura coincidência. Eu não sabia que ele viria hoje.
Falei: Ai que bom. Agora fiquei feliz.
Ela disse: Nossa, não sei se levo como um agradecimento ou como um insulto.
Ri e não respondi. Ela ficou mexendo no celular e falei: Você ainda conversa com o Fredo?
Ela desviou o olhar e disse: Sim, nós sempre estamos conversando.
Falei: Hum... Interessante.
Ela riu e não respondeu. As vezes eu sinto falta de ver ela e o Fredo juntos, mas ao mesmo tempo eu penso que é melhor assim, porque se eles ainda estivessem juntos ela seria louca o suficiente a ponto de transferir sua faculdade junto com a minha para a Califórnia só para poder vê-lo todos os dias, e eu não iria gostar disso. Eu acho.
Ela e o Justin já se desentenderam tantas vezes que não seria uma boa eles se encontrarem todos os dias. Uma vez por semana já está de bom tamanho.
Falando nele, o Justin deve chegar em casa exausto de viajar. Ele sempre fica bem cansado quando tem voos longos como esse, mas pelo menos ele virá me ver. 
Será que ele vai notar o tamanho da minha barriga? Porque ela não está grande, mas eu estou um pouco gordinha, pelo menos eu acho. Até agora eu engordei três quilos, mas foi só na barriga, literalmente. Continuo com a aparência de sempre, e uma barriguinha crescendo.
Chegamos em casa por volta das 14h20, um pouco antes do nosso horário normal de retornar para casa, mas tudo bem.
Abri a porta da sala e minha mãe conversava no telefone com alguém, e no mesmo instante ela parou para nos olhar. Sorri simpática e falei: Oi mãe.
Megan também sorriu e disse: Oi mãe. 
Ela pediu um segundo no telefone e disse: Por que vocês chegaram mais cedo?
Falei: A Megan foi me levar ao médico e estamos aqui.
Ela disse surpresa: Ao medico? Por que? O que aconteceu filha?
Ela disse rapidamente: Ela passou mal durante o intervalo e pediu que eu a levasse no médico, ai nós fomos lá e ela não quis avisar ninguém. 
Cerrei-a com os olhos que correu para a cozinha e perdi-a de vista. Minha mãe colocou a mão na minha testa e disse: Mas agora, você está bem? Por que não me avisou filha? O Justin também não sabe?
Neguei com a cabeça e falei: Eu estou bem. Não queria te preocupar a toa, foi apenas uma tontura e enjoo. Ai a doutora me receitou um remédio fraquinho, mas que faz passar na hora. 
Ela disse: O Justin chega hoje?-assenti- Você sabe que ele vai ficar irritado por não tê-lo avisado, não sabe?
Assenti impaciente e falei: A Megan já me falou isso mãe. Eu conheço meu namorado e sei que ele vai ficar irritado, mas ele está no avião e não iria receber minha mensagem. 
Ela disse indo atrás de mim até a cozinha: Que horas ele chega?
Falei: Daqui a pouco. Acho que irei buscá-lo no aeroporto. 
Minha mãe assentiu e disse: Só não quero ver vocês brigando á toa em Seu nome. Não se esqueça que você não pode ficar se irritando muito fácil.
Olhei para ela e falei ao tomar um gole d'água: Eu sei mãe. Eu sei me cuidar, pode ficar tranquila. 
Fui até o meu quarto e a Megan estava fazendo sua bolsa para dormir na casa da amiga.
Falei: A Dani vai te levar para a faculdade amanhã?
Ela assentiu e disse: Sim, nós somos da mesma sala. 
Falei: Verdade. E que horas você vai lá?
Ela deu os ombros e disse: Daqui a pouco. Você me deixa lá quando sair para buscar o Justin?
Ela não vai estar aqui na mesma hora que o Justin? Eles mal irão se ver. Só pode ser um sonho. Rapidamente assenti e falei: Claro. Só vou organizar minhas lições e esperar ele ligar. 
Ela concordou e falou: Eu já vou tomar banho e terminar de arrumar essas coisas.
Sentei-me na cama e tirei todo o meu material na bolsa. Separei as lições e deixei em cima da escrivaninha. Peguei meu notebook e enquanto ela tomava banho fiz uma das três pesquisas e já mandei por email para o professor.
Meu celular vibrou ao lado do note na cama e era o Justin.

“Em 15 minutos eu chego no aeroporto. Você vem me buscar anjo?”

Nao sei como ele consegue mandar mensagens durante o voo, eu nunca consegui. 

“Sim amor, daqui a pouco eu saio de casa e vou te buscar”.

“Beleza. Amo você”.

“Também te amo”.

Se ele chega em 15 minutos, melhor eu sair de casa logo. A Megan voltou para o quarto e disse enquanto penteava o cabelo: Que horas nós vamos?
Abaixei a tela do notebook e falei: Agora. Está pronta?
Ela balançou a cabeça e disse: Só vou guardar mais uma coisinha na bolsa.
Falei: Estou te esperando no carro.
Ela assentiu e sai do quarto com o celular nas mãos. Fui até o banheiro e fiz minhas higienes. Passei um batom rosa claro e escovei o cabelo, colocando todo para o lado.
Desci as escadas devagar e a Megan veio logo atrás.
Falei: Mãe, estou indo buscar o Justin.
Ela disse: Tá. E você Megan?
Megan passou rápido pela porta e disse: Vou dormir na casa da Dani. 
Saímos de casa e fomos para o carro. Falei: Duvido que você vá na casa dela só para estudar. Vocês vão sair de noite, isso sim.
Ela negou com a cabeça e disse: Engraçadinha, eu não vou ficar saindo não. Preciso estudar muito para essas provas.
 Falei: Eu também, mas as minhas começam semana que vem. Vou aproveitar esse final de semana para estudar de vez.
Ela disse: Pelo menos você vê o Justin uma vez por semana, e ele não atrapalha seus estudos.
Falei: Ele nunca atrapalhou, eu acho. Nem na minha época do colégio.
Liguei o rádio e falei: Onde a Dani mora mesmo?
Ela disse: Na rua de trás do aeroporto. Você me deixa lá e vai buscar seu amado.
Ri e falei: Meu amado? De onde você tirou isso Megan?
Ela riu e disse: Da cabeça. 
Revirei os olhos e falei: Ainda bem que você não vai ver o Justin, porque eu não gosto de vocês conversando.
Ela disse: Você tem ciúmes? Ele é meu cunhado.
Neguei com a cabeça e falei meio sem jeito: Não é ciúmes. Eu só não gosto.
Ela disse: Isso se chama frescura.
Assim que chegamos no bairro do aeroporto, parei em frente a casa da amiga da Megan, e ela logo desceu do carro toda animada.
Falei: Até amanhã maninha.
Ela sorriu e disse: Maninha é você, eu sou mais velha. 
Ri e ela gritou: Valeu pela carona. Manda um beijo para o seu amado.
Coloquei os óculos de sol e saí de lá rapidamente. Entrei no aeroporto e estacionei no meio de vários carros, já que estava tudo lotado.

''Cheguei amor. Você já está aqui?''

''Sim. Estou te esperando na sala de espera privada, porque tem várias pessoas por aqui.''

Desci do carro com o celular nas mãos e ajeitei o cabelo.

''Estou entrando no aeroporto. Pode vir''.

''Estou indo''.

Fiquei parada na entrada olhando ao redor para tentar imaginar onde ele provavelmente estaria.  Cerca de 40 garotas estavam paradas em frente a uma porta gritando pelo nome dele feito loucas. Até parece que elas não se acostumaram que ele vem aqui uma vez por semana. 
Obviamente ele está lá dentro. A porta se abriu e ele rapidamente olhou ao redor. Acenei com a mão esquerda no alto para que ele me visse, e veio correndo em minha direção enquanto era seguido pelas garotas. Estava com a mochila nas costas, boné e jaqueta preta de couro com uma blusa vermelha e calça jeans preta com um supra da mesma cor da blusa. Seus óculos escuros serviam para que ele olhasse onde queria e não dava para ver, de tão escuros que eram.
Assim que chegou em minha frente, deu-me um selinho e suspirou. Fomos cercados por fotógrafos e garotas e ele disse entre dentes: O carro está muito longe?
Neguei com a cabeça e falei: Vai indo pra lá que eu já vou.
Dei as chaves na mão dele, que passou correndo por mim e saiu de lá. Tentei segurar as garotas e disse que logo ele voltaria para tirar fotos, mas não aqui e teria que ser na praia por motivos de ser um lugar público. Evitei os fotógrafos e logo saí de lá.
''Você está grávida Seu nome?'' ''O que aconteceu no médico hoje?'' ''Você saiu mais cedo da faculdade?'' ''O Justin já sabe?''
Virei-me para eles e falei despreocupada: Exames de rotina. Tive que sair mais cedo por conta da minha irmã. 
Entrei rapidamente no carro e Justin estava sentado ao lado direito, com o celular nas mãos. Liguei o carro e ele disse: Tudo bem?
Assenti e falei: Sim e com você?
Ele concordou com a cabeça e me abraçou forte. 


Continuo com 16 comentários

Boa noite para todas. Espero que estejam gostando da fic e tal. Eu não faço ideia do que aconteceu, mas uma parte do cap a letra ficou gigante e depois voltou ao normal, eu tentei arrumar mas n consegui. Logo vocês saberão se será Brian ou Allissa. Eu amei DEMAIS Brian, e foi uma de vocês que deu a ideia sjakskak obrigada.Obrigada tbm a todas que estão lendo e elogiando sempre, significa MUITO pra mim, mesmo. Se Deus quiser eles vão mudar essas datas da BT do Brasil haha. Beijos

21 comentários:

  1. continua Lele, amei muuito principalmente a parte das duas no carro foi muito hilario!! Beijoos @_soutodinhasua

    ResponderExcluir
  2. continua lê, capitulo perfeito como sempre :) @drewsbrownie

    ResponderExcluir
  3. Let continua.....ta perfeito bjos

    ResponderExcluir
  4. Continua lele estou amando essa fic ,eu vivo ,respiro ela hahaha bjus linda
    @dudinhagarcia2

    ResponderExcluir
  5. Ta muito perfeito continua!!!
    @01_Justin08

    ResponderExcluir
  6. Ta muito perfeito continua!!!
    @01_Justin08

    ResponderExcluir
  7. PEEEERFEITO !
    @biebesmiling

    ResponderExcluir
  8. Dançaaaando aqui , sem motivos ! AAAAAAAH Brian é vida <33 Girl , to sem idéias pra comentar , mas enfim ... Amu dimais suas imagines sua ghataaaaaa ( erros propositais e não sou funkeira , mas nada contra ) Bjs ti amu

    ResponderExcluir
  9. LETIIIIS CONTINUAAAA,awwwnnn eu adoro Brian,é o nome do meu primo ú.ú Continua logo pq eu já to ficando triste por ela ta chegando no fim :'( mas to ansiosa pra saber se vai ser Brian ou Alissa ♥ Alissa tbm é bonito mas eu prefiro que seja Brian kkkk

    ResponderExcluir
  10. já deu 16 continua pleasee

    ResponderExcluir
  11. vamo muié continua

    ResponderExcluir
  12. acho q a maioria dos comentarios são meus hahaha

    ResponderExcluir
  13. continuaaa @outoftownjb

    ResponderExcluir